Faculdade Anasps se faz presente no 1º COED

Professores e gestores da Faculdade Anasps participaram do primeiro Congresso Online Educacional, realizado no mês de julho do corrente ano, e obtiveram a oportunidade para desenvolverem e ampliarem o senso crítico reflexivo diante de um mundo que está em constante transformação. Foram sete dias imersos num total de trinta disciplinas ministradas por profissionais de renome no Brasil, sobre os mais variados temas, como “novo normal”, tecnologias aplicadas à Educação, desafios do professor na era digital, como o de virar um youtuber, por exemplo, saúde na e após a pandemia e, claro, muito conteúdo sobre educação.

As palestras – de forma geral – giraram em torno de uma expressão inglesa: VUCA, que traduzindo o acrônimo, encontra-se: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade, e os impactos desse novo cenário pós-moderno no processo educacional no modo de aprender e as suas implicações na nossa performance e no nosso comportamento na gestão das nossas escolhas.

O professor Luiz Hosannah expôs que vivemos num mundo de volatilidade, onde as certezas evaporam rapidamente, num mundo que é muito dinâmico, globalizado, interconectado e interdependente, marcado pelas incertezas, pois nós não sabemos quais serão os nossos próximos problemas quiçá quais são as alternativas de solução.

Cita, ainda, que é um mundo que é complexo porque está tudo interdependente, onde um vírus que ocorre no interior da China paralisa o mundo, e, isso é emblemático, pois está tudo tão conectado, tudo correlacionado.

Ao mesmo tempo, vivemos num mundo que é ambíguo, porque existem métodos contraditórios que convivem lado a lado. O professor afirma que não temos uma resposta absoluta para tomar decisões, é o mundo da relativização, pois temos que relativizar a possibilidade de reagirmos diante do cenário que está em constante transformação.

Muitas das palestras bateram na mesma tecla, afirmando que atualmente é preciso proatividade, capacidade de nos reinventarmos constantemente, e resiliência: capacidade de lidar com desafios ameaçadores e aprender com esses desafios.

É estar diante de uma situação desafiadora, ameaçadora, estressante, desgastante, e aguentar a pressão, saber lidar com as adversidades e ser receptivo para aprender coisas novas.

Outro assunto muito abordado foi a gamificação e o caminho sem volta para o uso dos meios de tecnologia da informação para a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem. Cada vez é mais comum alguém ao invés de ler, fazer uso de jogos que acabam por mediar o processo de aprendizagem, além de entreterem.

Destaca-se que na gamificação o processo de ensino aprendizagem é motivar os participantes, motivar os estudantes, é uma ferramenta de engajamento, não é o jogo em si que faz a aprendizagem, e sim as trilhas a serem percorridas, os desafios que instigam o jogador (aluno) a ir passando de fases e ampliando seus conhecimentos.

As palestras também trouxeram questionamentos quanto à preparação dos professores para o uso das tecnologias em sala de aula, para o cuidado com as fake news e como que as informações que são colocadas na internet podem ajudar na aprendizagem e podem afetar tanto os alunos quanto os professores, afinal de contas, vive-se um momento em que as informações estão sendo divulgadas com muita velocidade. Tema recente no mundo educacional, a sala de aula invertida foi objeto de boas apresentações.

A sala de aula invertida é um modelo que tem muitas raízes no ensino híbrido, na fusão do ensino presencial com recursos do ensino a distância, trazendo para o contexto as metodologias ativas da humanidade, onde as pessoas estão aprendendo de uma forma diferente.

Na sala de aula invertida, a figura do professor tradicional, responsável pela exposição de todo o assunto, ou seja, em que todo o processo de aprendizado está centralizado no professor, dá lugar a uma participação mais ativa do aluno, que recebe conteúdos, recebe a explicação e depois assimila, responde, estuda e devolve as avaliações propostas.

O aluno se torna o agente principal, o protagonista de todo o processo ensino-aprendizagem. Não será mais uma mera transmissão recebida de um professor, mais uma construção mediada pelo professor, em que o aluno passa a ser de fato um estudante, na busca de conhecimento por meio de uma pesquisa de forma autônoma.

O encontro presencial passa a ser a oportunidade para esclarecer dúvidas, para realizar atividades e trocar conhecimentos. As aulas presenciais pós exposição prévia ganham um nível alto, com aprofundamento, com perguntas mais bem elaboradas, com debates mais profundos para aplicar ações práticas relevantes, com solução de problemas e com discussões inteligentes.

A sala de aula invertida é calcada em quatro pilares fundamentais sintetizados na sigla FLIP. Flexível (Ambiente flexível), escola-casa-trabalho, Learning Culture (Cultura de aprendizagem) mudança de hábitos e comportamentos, Intentional Content (Conteúdo dirigido) e Professional Educator (Educador profissional), em que o professor precisa se tornar de fato, um guia facilitador, se profissionalizando nos conhecimentos e princípios básicos da sala de aula invertida.

Dentre as tantas palestras enriquecedoras e que se fossemos discorrer como detalhamento merecido não caberia aqui, há de se destacar:

  • Os cenários de aprendizagem no mundo VUCA e seus impactos comportamentais e adaptativos (Luiz Hosannah);
  • Como utilizar a gamificação em ambientes de ensino offline (Sam Hoffmann);
  • O profissional da nova era (Édel Pontes) e
  • Técnicas e ferramentas para produção de vídeoaulas (Érika Regiani).A título informativo, para aqueles que ainda duvidam da força do ensino virtual, trazemos a notícia de que 70% dos internautas do país declaram ter preferência de consumir conteúdos em vídeos ao invés dos tradicionais livros e jornais impressos.O mundo educacional não apenas caminha para o EaD, como dá passos firmes pelo caminho (não tão) novo que é o tecnológico, deixando o caminho do ensino presencial como complementar à nova era do aprendizado.A Faculdade Anasps está atenta e participativa nas mudanças educacionais que ocorrem, se preparando para lhe oferecer o que há de mais lúdico, didático e assertivo no processo ensino-aprendizagem.

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *